quinta-feira, 26 de abril de 2018

A PRIMEIRA NAMORADA

No início do relacionamento, meu namorado evitava ao máximo que eu tivesse a oportunidade de conhecer a minha sogra, até pensei que era por insegurança sobre a relação, pois fui a primeira namorada dele, se eu soubesse  onde estava me metendo eu jamais a teria conhecido. 

Depois de muito insistir, eu a conheci. Minha primeira impressão foi que ela era divertida mas do tipo "barraqueira", mas eu sempre fui muito simpática então não dei bola. Os meses se passaram e surgiu a oportunidade de eu e meu namorado morarmos juntos, foi aí que começou o inferno.


O caso é que ela é jovem, não tem 50 anos mas é do tipo que não gosta de trabalhar, e era meu namorado que a sustentava, ela e o meio irmão dele, e quando ele foi sair de casa, ele deixou claro pra ela que não poderia sustentar duas casas. Só que ela vivia pedindo dinheiro, dizendo que estava passando fome e etc, eu como qualquer pessoa quis ajudar ela na dificuldade mas isso foi se repetindo por vários meses e eu não aguentei e comecei a negar porque ela tem saúde e pode trabalhar pra se sustentar.

No final do ano, eu fazia várias horas extras para podermos visitar os meus pais que moram em outro estado, e como ela estava insistindo pro meu namorado que precisava de dinheiro ele perguntou pra mim então se não poderia dar dinheiro para ela faxinar a casa porque andava muito cansada. Eu sei que ela não é nada caprichosa na casa dela, o pátio é virado em lixo, eu nunca pude entrar na casa dela porque não me deixavam entrar com a desculpa de que era pequena mas eu sabia que era por causa da sujeira, então como vou deixar alguém assim limpar a minha casinha linda? Ele insistiu e de tanto insistir eu concordei.


Ela foi e quando eu cheguei do trabalho ela estava indo embora. Dei tchau e quando eu fui entrar na casa vi um balde com água suja, ela passou o mesmo pano na casa inteira, não varreu, só passou esse pano, lavou a louça e colocou roupa na máquina. Isso era faxina pra ela. Eu chorei, porque tive que fazer tudo denovo e ele ainda deu dinheiro pra ela vir e limpar, o almoço que ela quis comer, café da tarde, levou embora de uber, enfim, pagou o valor de duas faxinas por uma que nem limpou.

O fim do ano chegou e fomos pra casa dos meus pais e quando voltamos de lá recomeçou o inferno. Ela queria dinheiro pra fazer picolés pra vender, ele deu e ela gastou tudo e depois pediu de novo falando que estávamos devendo dinheiro pela caprichada "faxina" que ela fez. Eu me revoltei.Aí eu que resolvi responder, deixei tudo bem claro, que a gente não era baleia pra ter filho grande, que ela podia muito bem trabalhar pra ter o dinheiro dela e não precisar tirar dos outros, que eu não fazia hora extra pra sustentar uma vagabunda. Ela me chamou de tudo quanto é coisa, que não tinha moral pra falar nada porque estava devendo ela, e eu disse pro meu namorado que nunca mais queria que ela pusesse os pés na minha casa.



Então ela fingiu que era vítima, passamos várias semanas sem ter contato e no meio do meu expediente do serviço ela me ligou pedindo desculpas porque ela precisava de mim porque o filho pequeno precisava cortar o cabelo. Eu disse que só queria viver em paz e distância dela.
Daí passaram uns meses, eu estava com uns amigos numa quadra de futebol e meu marido estava no vestiário porque ia jogar, e ela apareceu. Eu não havia visto, mas de repente ela chegou e me cutucou pelas costas e quando eu me virei ela me deu oi e beijinhos e me chamando de querida como se nada tivesse acontecido. Eu cumprimentei respeitosamente porque não sou mal educada só fiquei um pouco constrangida porque eu não sei fingir que estou bem com alguém, mas tudo bem. Quando ela saiu, viu que o filho não estava e ligou pra ele na mesma hora, dizendo que eu havia humilhado ela na frente dos meus amigos, feito caras de nojo e sido arrogante, e ele brigou comigo pensando que era verdade então eu fiquei furiosa e fui lá na casa dela perguntar que história era essa.



Como o meu namorado estava vendo ela continuou se fazendo de vítima, e eu disse que não precisava fingir que estava de bem com ela quando não estava, que quando ela me ligou eu disse que não queria mais briga mas não queria mais proximidade com ela. 

Moro com meu namorado há quase dois anos, eu nunca vi ela trabalhar, a última briga aconteceu há quase um ano, pois foi em janeiro. Já estamos no final do ano e ela ainda não trabalha. Vive mandando mensagem e ligando pro meu namorado pra pedir dinheiro. Eu vejo que ela espera que ele a sustente pelo resto da vida, até porque ela não tem nada que seja dela, ela mora no terreno da mãe dela, em uma casa que a mãe dela construiu, pede dinheiro pra todo mundo, desde conhecidos a políticos. Eu acho que ela jamais vai mudar...

História real enviada por "NORA GAÚCHA"

Nenhum comentário:

Postar um comentário